Páginas

domingo, 3 de maio de 2009

DO QUE TENHO SENTIDO


Ando me sentindo meio Rutherfórdio*. Pois é, tem também essa coisa de náusea e certa ânsia de vômito. É que preciso cuspir verdades para todos os lados e vomitar, mesmo que brusco é direto e objetivo. Ao menos algo que seja verdade e real, provocado por mim. Choque. Preciso de conflito. Turbulência. Me sinto infeccionada. Com diversos tumores. E eu sei que passo o meu melhor, mas eu cheiro a enxofre. Estou podre por dento. Podre. Do tipo de carne estragada que se esqueceu no congelador há anos atrás. E esse estado Rutherfórdio. Inútil. Me sinto sei lá, uma espécie de não-eu. Uma espécie de fabricação de um ser alheio a mim. Se quer saber não sei o que é um eu, então difícil dizer sobre o não-eu. Mas não sinto que queira ser essa espécie de ser o qual venho me apresentando. E dentre tudo isso o que me assusta é que eu não sei o que eu quero fazer de mim. Vou fazendo, dizendo, explanando a respeito disso. Vendo até onde consigo chegar. Até onde consigo. Não tenho o controle. EU não tenho o controle.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-


*Elemento radioativo artificial, sem registros de utilização.

5 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

O eu e o não-eu são a cara e a coroa da mesma moeda...

Judith disse...

Só te digo uma coisa:
Não quero sentar do seu lado no ônibus não!

Judith disse...

Ah sim... e vc sabe que isso me lembrou zabomba né?

"Me sinto infeccionada. Com diversos tumores."

As coisas saem nem que sejam como pus!

;D

Pedro Pan disse...

, quanta turbulência possui nosso dia a dia né?!
, agradecido pela visita em quimeras. volte quando desejar.
, abraços meus.

Su disse...

Sinto isso tb, esse descontrole que vem de dentro... vontade de falar tudo que estava travado...

bjosss!!!