Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

VERSOS EM RETALHOS

Estou naqueles dias despedaçados. Que cada acontecimento nos parece um insulto do tipo de ato inaceitável. As coisas acumulam tanto comigo que quando uma coisa resolve aparecer vem tudo junto. E eu nem sei mais por que ou por quem são as lágrimas que encharcam meu rosto. Eu tão sentimental não consigo sequer compartilhar a dor que sinto com alguém. Guardo-a toda pra mim. Não consigo não pensar em não pensar. Não consigo não chorar mesmo sem querer chorar. Não consigo não conseguir. Quanta impotência meu Deus! Quanta inconsistência do meu ser. Nem versos profundos consigo escrever. Só esses retalhos mal acabados... Pra que escrevo? Pra que insisto em escrever nesses momentos? Essas palavras vazias só fazem desvalorizar e diminuir o que sinto. Eu que nem sei falar de mim tento falar do que sinto. Batalha inútil que travei com os pontos e vírgulas, conjunções e verbos. Meu vocabulário escasso me impede de aprofundar no borbulhamento de meu ser e na fervura do que sinto. Tudo que escrevi aqui não passam de palavras de gelo em busca de calor, que ando cansada de tentar encontrar.



7 comentários:

Paulinho Cajé disse...

No fundo sabemos o por que de escrevermos, escrevemos para dar uma forcinha a alma, para ajudarmos ela a seguir.

"Tudo que escrevi aqui não passam de palavras de gelo em busca de calor, que ando cansada de tentar encontrar." Eu sinto isso tbm, por isso o nome do meu blog eh "praseresquecido.blogsp..."

É isso. Força querida!!

Maria Fernanda disse...

Se o calor não te vem das tuas palavras, procure ouvir músicas de palavras quentes.

Não resolve, mas alivia ;)

Y a s h a disse...

É por acaso que estou aqui, nem tão por acaso, vi seu blog no "Eu comigo mesmo", mas foi de uma sensação ímpar que me invadiu de cara isso tudo aqui...

Seu texto me vestiu, seria injusta comigo se não estivesse comentando. Ele foi àquela calça justa que não precisa dar nenhum ajuste atrás para não ficar caindo. O número certo, o tom certo, os detalhes todos certos.

Não tiro, nem ponho nada nele. E te deixo um pouco de paz nesse coração. ;*

Ígor Andrade disse...

Estou assim também...
Abraço!

Mayara R. disse...

Amei aqui.
palavras profundas!
Beijos

Su disse...

pegue os pedaços, junte-os e recomece... permita que o calor te encontre!

paz!


beijos!

clarice ge disse...

sentir é mais que pensar, pensar é mais que escrever... as vezes o sentir transborda o que não cabe em palavras. transbordar é bom, acaba por deixar-nos mais leve com o tempo.
beijinhos gigi