Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

SOBRE TEMPOS DE CHUVA


E uma vontade imensa de entrar nessa chuva. Deitar no asfalto e deixar lavar. Uma vontade doida de me escorrer. Me fazer correnteza e deixar que a água leve o que tem atrapalhado o curso do rio em mim. Deixar que a maré encha. Que limpe tudo que estiver à margem impedindo as flores de ganharem vida. Essa vontade inquietante de ser branca pra recomeçar. Na esperança cruel de não seguir o mesmo curso, não bater nas mesmas pedras e não quebrar os mesmos galhos.


2 comentários:

Mikaele Tavares disse...

Quem não queria essa chance...Belo texto!

Hélio Netho; disse...

então passe a acompanhar o clima, para que na próxima chuva, mesmo com frio, possa apreciar esse momento.