Páginas

segunda-feira, 27 de junho de 2011

ESCORRENDO


Eu sempre preferi não ouvir o que pensam de mim. Por maior que fosse a curiosidade em saber, nunca quis correr esse risco. Saber o que o outro pensa de nós é violento demais. Ao mesmo tempo todo esse ar de mistério que gera em volta do não saber faz aumentar e alimentar as minhas angústias e inseguranças. Por mais fortaleza que possa transparecer ser. Tem uma menininha fraca lá no fundo se protegendo da vida, muitas vezes se esquivando dela. Essa menininha não consegue dar a cara à tapa. Ela não quer sangrar. Mas ás vezes é preciso escorrer e deixar ir. E pra isso precisamos do impacto de uma porrada forte e de frente.

2 comentários:

Guilherme Navarro disse...

Muito bom!

Geralmente saber o que pensam de nós é nos expor a fatos que não queremos encarar. Medo.

Lene disse...

Por que precisamos nos proteger? Acho que temos medos demais, medos imaginarios até...