Páginas

terça-feira, 8 de setembro de 2009

DO TEMPO

Desses espasmos de abraços compassados
Desses faxos desencantados de embalos
Desses por vezes viris sentimentos
Dessas beiras de potências
Dessas maneiras
Dessas maneiras

O que será eu já não sei
Cabe o tempo no seu contratempo
Se dispor a desvelar o que a vida encobriu
Se assim nos for possível
Caberá então a cadeira no canto da sala
O assento da espera
A inquietude de esperar o que não se sabe
Essas maneiras
Essas maneiras

Vê se te mantém aí
Vê se nem chega mais perto
Vê se fica
Não volta

O tempo é corrimão de escada
A gente senta com cuidado
Mas nem todo o cuidado nos impede de deslizar rápido
Além do que poderíamos prever.

8 comentários:

Erica Ferro disse...

Lindo!
Adorei esse trecho: "O tempo é corrimão de escada
A gente senta com cuidado
Mas nem todo o cuidado nos impede de deslizar rápido
Além do que poderíamos prever."

É verdade. O tempo tem mania de voar, nós é que devemos segurar firmes em suas asas e aproveitar o voo.

"Hoje o tempo voa, amor. Escorre pelas mãos." ♫

:*

(marta selva) disse...

adoro divagacoes sobre o tempo.
aliado e algoz.
ele de fato faz o horizonte distante ser alem do que podemos prever...


depois do seu pedido carinhoso no meu blog. resolvi me mancar e voltar.
hehe
;*,poetisa.
sempre lindo por aqui

Lucas Lima disse...

Ótima divagação, rs
Viajei no tempo com ela, rs
Bons Dias

Davi disse...

Não adianta mesmo termos muito cuidado com o tempo, ele está aí há tanto tempo que só temos que andar com ele sem muita preocupação.
Que sensação boa é esta ler seus poemas?
hehehe...
Continue em seus devaneios sempre!

Su disse...

a melhor maneira de pensar no tempo... é pensar no que estamos fazendo dele... e então, enquanto o tempo passa, viver de verdade...

bjosss!

Késia Maximiano disse...

Q gostoso de se ler..
beijão

Kátia Ruivo disse...

'o tempo é o corrimão da escada'
gostei disso...

Bárbarela disse...

"hoje acredito que não saber é o que torna a vida possivel" lya luft