Páginas

segunda-feira, 28 de março de 2011

DE MASOQUISMOS


E a gente ia fazendo exatamente aquilo que a gente disse que não ia fazer. Parece que machucar a relação é mais fácil pra fazer romper e se afastar de vez. O que a gente não entendeu é que não se pode romper algo já rompido. Nossa relação já havia se quebrado há tempos, só que com menos danos. Acho que a gente precisou fazer sangrar pra sinalizar aos outros algum tipo de motivo evidente. Porque nem a gente mesmo entendia muito bem, mas é que acaba sabe. Se transforma em outra coisa. E vai criando aquele vão no entre. Um abismo que vai ficando cada vez mais difícil de fazer a ponte. Até que mesmo com a ponte pronta a gente não quer atravessar.

7 comentários:

Amanda Machado disse...

Muito bom e eu super entendo isso!

Tamára Roots disse...

A última frase é uma das melhores que já li!
parabéns. ótimo texto.
bons dias.

mais amor, por favor. disse...

Se não doer, se não fazer sofrer, não é amor. Amor e sublime é lindo, mais tbm é dor e terrivel, mais nem por isso temos que fugir dele.
Se recuper.
atravesse a ponte.
beijos.

Boca grande disse...

"Nada nunca dá certo de vez. Eu sei. Tudo termina sempre acabando. Só o fim permanece. O fim eterno de todas as coisas. Então, me dissolvo antes do fim. Eu me dissolvo".


"Afinal, tudo muda o tempo todo" (...)

Wenndell Amaral disse...

Não abandonei! Apenas diminui na frequencia, rs.

By K.a. disse...

to nessa ponte: entre a dor de gostar e a dor da separação.
Se quer saber, prefiro que esta ponte caia de vez. E q faça sim, do sangue, uma marca definitiva para superar a separação.
tipo uma tatto... pra gente lembrar sempre que olhar, não da dor, mas da superação.

ps: confesso: é fácil falar,o é dificil é agir.

bjos !
volto smepre!

Su disse...

Acho que me vi aqui...

Bjos!