Páginas

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Afetos Fragmentados


"É meu este poema ou é de outra?
Sou eu esta mulher que anda comigo
E renova a minha fala e ao meu ouvido
Se não fala de AMOR, logo se cala?
Sou eu que a mim mesma me persigo
Ou é a MULHER e a ROSA escondidas
(Para que seja eterno o meu castigo)
Lançam vozes na noite tão ouvidas?
Não sei.
De quase tudo não sei nada.
O anjo que impulsiona o meu poema
Não sabe da minha vida descuidada.
A mulher não sou eu. E perturbada
A rosa em seu destino, eu a persigo
Em direção aos reinos que inventei."

(Hilda Hilst)

Um comentário:

(marta) disse...

eu amno hilda hilst com todo meu ser..
;*