Páginas

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

QUANDO ACABA


Onde foi que você deixou seu brilho?
Onde foi que ficaram tuas palavras doces?
Cadê aquele teu sorriso sem graça?
Cadê aquele homem por quem eu me apaixonei?

Pra onde foram as juras de amor?
Pra onde foram promessas de um futuro juntos?
Cadê aquele sussurro bom no meu ouvido?
Cadê aquele abraço que me sufoca de prazer?

Onde foi que meu entusiasmo por você se perdeu?
Onde foi que ficaram minhas conversas em tons de romance?
Cadê o brilho nos meus olhos?
Cadê a mulher por quem eu fiz você se apaixonar?

Pra onde foram minhas saudades de você depois de um dia longe um do outro?
Pra onde foram minhas vontades de fazer algo por você?
Cadê minha mão segurando a tua?
Cadê meu corpo procurando o teu?

Eu não tenho respostas pras mudanças que a vida traz
Você não tem respostas pras escolhas que você fez
Eu já não sei o que sinto por você
Você já não sabe o que sente por mim
Eu não quero me sentir obrigada a lhe doar sentimentos
Você não quer obrigar-se por mim
O nosso amor se transformou em obrigação de favores
E desde quando amor se faz favor e obrigação?
Façamos favores individuais então
Reconheçamos que acabou
Sem muitas cerimônias
Amei! Foi bom! Adeus!

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

2 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Tantas buscas, tantas interrogações...será que vale a pena o martírio do saber?

Obrigada pelo carinho flor, estou melhor e o ar já mora no meu peito.

lindos dias,
beijos

Darlan disse...

"desculpa se estou um pouco atrasado..." Nossa, quanto tempo não passava por aqui. Então, o dia que ue li seu comentário lá no meu blog falando da mudança de endereço eu não estava em casa, e acabei esquecendo disso no marasmo das férias... e só hoje eu venho aqui =/ Mil desculpas.

Ah, seu poema é lindo demais! Triste também, claro. Mas mostra uma maturidade que me faz te imaginar como uma mulher, e não mais como uma menina. Belas palavras. Beijo!