Páginas

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

NO ENCONTRO DA ESCRITA



Por que as vezes nos é tão difícil escrever? Me parece que as vezes os sentimentos não cabem em palavras e tentar definí-los é reduzi-los numa materialidade que não os cabe. É condensar a sensação num único valor, num só termo como se ele não pudesse ser vários. E no momento que o escrevemos apreendemos nele essa marca e ele deixa de poder ser qualquer outra coisa que pudesse vir a ser. As palavras tem peso. A escrita marca. O indizível quando dito parece que impossibilita o poder ser de outra maneira que não aquela. Não se pode voltar atrás. E quando se escreve se expõe. É impresso seu próprio eu ali nas palavras. Escrever é arriscar-se. Escrever é encontrar consigo mesmo. Registrar o que pensa e assinar em baixo. Eu quero escrever hoje uma coisa e amanhã escrever totalmente o contrário sem medo da culpa. Quero que tirem de mim o fantasma da escrita. chega de susurros eu quero gritar. Berrar para que todos ouçam meu grito. Vou escrever pura e simplesmente pro meu prazer. Escrever porque gosto. Escrever para o nada. Como agora que jogando palavras entrelaçadas no papel sem destino. Se por algum acaso elas chegarem até você, será por sua conta lê-las ou não. E nem tenho pretensão de agradar-te, fique pra você algo de bom ou ruim. Aquela que escreve já escancarou e chutou seus fantasmas. Só o ato de extravasar já me basta. Não quero reconhecimentos, nem pompas, nem festas. Eu quero despojar de mim mesma. É um exercício de tirar as máscaras e dar forma ao que não tem corpo. Dar nome ao que não tem nome. É na angústia que faço versos em busca de mim mesma. Escrevo pra me encontrar.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-


6 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Escrever é ter a coragem de mostrar-se, é ter a gana de sentir-se, é ter a garra de consertar-se.
Escrever flor, é isso que você faz tão bem.

lindo dia querida
beijos

Cadinho RoCo disse...

Escrevemos porque gostamos e isso significa encontro e encontrar significa muito mais porque o que não dá mesmo é viver no desencontro.
Cadinho RoCo

Ana D disse...

Sabe que por vezes escrevemos mais na angústia...Todo mundo passa por isto..Acho...rs..

clarice ge disse...

os sentimentos as vezes extrapolam, as vezes são incabíveis, nos deslimitam, parecem não fazer sentido, "esvaziam o cheio, enchem o vazio".
as palavras tem fome de mais e querem definí-los...
a escrita é sua catarse.
carinhos poetiza

Dallas Diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dallas Diego disse...

Perfeito!
Nao tem como definir de outra forma!

Graças ao seu texto, resolvi criar no meu blog uma coluna chamada "texto da semana", vou ficar buscando nos blogs que visito textos maravilhosos para expor lah.

Vou começar com o seu.

Abraços!!