Páginas

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

PARTE DO TODO


Já não sei em qual abismo me deixei
É só corpo que levo
Só físico
Só matéria
É uma parte do todo


O mundo me reconhece como tal
Como todo
Mas eu não
Não me vejo
É apenas parte de mim que me move
A outra está morta
É estorvo
É encosto
É resto

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-



2 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Nossa visão é cruel, não temos o ângulo de quem nos olha por fora, somos sempre partes, fragmentos que não se completam, somos duros a nosso ver.

lindo dia flor
beijos

R.Vinicius disse...

Teus olhos vêem de tal forma; A forma não condiz talvez com o retrato, nem sempre a moldura é uniforme a beleza da pintura. O interessante é sempre olhamos e sempre tentarmos olhar de uma forma distinta tudo. Bela forma de expressão, poema de tuas linhas.

Abraço,

R.Vinicius