Páginas

sexta-feira, 21 de novembro de 2008


Parece que tenho perdido a dose, o freio, o medo, o silêncio. Num processo de sentir tudo no qual o que fica é só o vazio do nada sentir. Quando muito se tem nada quer. Eu não quero nada, pois estou farta de tudo... Tudo o que me cerca. Tudo me parece velho e desinteressante. Ando precisando do novo, do desconhecido, do frio na barriga, do contato em carne viva. Consegui me desvencilhar das amarras que me prendiam. Mas mesmo solta não quero a liberdade. Quero me prender em alguém. Quero que alguém se prenda a mim. Mas é tudo tão velho e desinteressante.


-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

3 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Necessidade de completude, isso...
Meu amor diz que somos completude, né lindo?
lindo dia flor
beijos

LaLa! disse...

Olá Pequena poetiza! amei o seu blog e a sua poesia tbm!
Acho que todos nós precisamos de um amor para se preender neh! ;)

bjo/

Dallas Diego disse...

Todo mundo quer que alguem se prenda à si, e todo mundo mundo qr alguem que pensa como vc!!!

Vc soube usar bem a contradição, foi na boa e certa dose!!

Abraços!!!

O prazer foi meu ao postar seu texto no Escritos!!!