Páginas

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

PASSAGEIRA



O mundo anda tão preto e branco. Tudo pulsa. Tudo treme. Tudo se move. Mas é tudo tão automático. O mundo tem andado no piloto automático. Quem é esse piloto gente? Alguém já viu seu rosto? Já lhe deram bom dia? Ele é alguém em que se possa confiar o mundo? É a vida passa... E ultimamente anda passando cada vez mais depressa. Meu passado me vem em flashs e não consigo conceber o quanto a vida é fulgás. Quanto já fiz de mim sem que soubesse o que de mim fazia. Tem dias que sou puro impulso e emoção. Outros a razão me domina de tal forma que me impossibilita de me mover. Enquanto isso a vida passa. O mundo gira. E o lugar que deixo quando volto já não é o mesmo. Tenho medo do retorno e do quanto pode ser frustrante ver certas mudanças. É difícil partir. Mas ainda mais difícil é voltar. Nada volta como antes. A vida anda passando pra mim. As pessoas andam passando por mim. E eu sou aquela que nunca volta. Eu sempre fico.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

5 comentários:

Felicidade Clandestina disse...

Vim agradecer sua agradável visita! Eu gostei muito do seu espaço ... voltarei aqui calmamente para ler seus escritos!

Um beijo e uma boa tarde!

Y a s h a disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Y a s h a disse...

Achei isso aqui por acaso, mas já vou me acomodando. Parabéns pelo texto, e pelo blog, realmente é dos que gosto de ler, lembra meu modo de escrita.
Gostei do final do texto...
"Tenho medo do retorno e do quanto pode ser frustrante ver certas mudanças." Acho que todo mundo tem certo receio quanto a isso, mas a mudança é precisa, e até que haja entendimento, é sofrida também. Mas como saber se algo é bom se nunca tentar? Acredito que precisamos nos jogar de cabeça mesmo, fazer acreditar, embora com certa consciência.


Visita o Labirinto. ;*

Su disse...

Já me percebi várias vezes no piloto automático... e quando percebi isso, me dei conta de quantas vidas não tenho vivido!

bjosss!!!

sohbet15 disse...

Thank you very much
sohbet