Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2009

DA REALIDADE QUE ME FALTA











Preciso dos meus versos de volta
Aqueles de carne e osso
Chegava a me sangrar cada palavra posta no papel
Hoje, mal ouço ruído de vento na janela.


-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

14 comentários:

Boo disse...

versos de carne e osso pele com pele é a mais pura poesia que existe.

Marianna Neves disse...

Se entregue...
Permita-se...
Viva...
Vais ouvir muito além do ruído do vento!!

Beijoooos!!
òtima semana.

Maria Fernanda disse...

Tem dias que só o vazio nos consome, né?

Maria Inácia Bellico disse...

Saudade não é mesmo? Lindo poema, bem profundo.

Bjim*

Rafael Cury disse...

Lembrei-me de Nietzsche: "de tudo o que se escreveu, só amo aquilo que o homem escreveu com o seu próprio sangue." Beijo

Kuriozza disse...

Pois abra a janela e sinta o vento no seu rosto.

Um bj!

willa Albuquerque disse...

Que linda as palavras! :}
Passa no meu blog,
tem presente para ti.
Beijos.
:*

Davi disse...

Versos vivos, somos eles. pena que passemos a vida sendo só vento na janela, quase nem ouvido.

Mas escutei suas palavras, e sim! são palavras carnais, reais, ainda bem!

Abraços!

Ígor Andrade disse...

As palavras voltam, minha amiga. As palavras sempre voltam...
Abraço!

Su disse...

os versos sempre estarão em vc...

bjosss!!!

(marta selva) disse...

pra mim...tu transpiras versos.
;*

' Josi Keller disse...

Oii
Sincero, verdadeiro, expressivo, confisao
Po.. gostei do seu blog
Vou ta aki sempre rsrs
Visita o meu ?
http://josikeller.blogspot.com/2009/03/daquilo-que-nunca-pensei-que-ela.html
Abraçoo

.

Nyh! Marinho. disse...

Acho q pingou sangue aqui!
Bjos!

O futuro do que fui,o passado do que serei disse...

há palavras qeu sangram mesmos..
mas grandes momentos inspirados sempre são precedidos de hiatos criativos ^^