Páginas

terça-feira, 3 de março de 2009

SOBRE ESTAR SECA MESMO MOLHADA

Tenho me espremido
Espremo
Espremo
Espremo
E mesmo encharcada
Não sai uma gota de mim
E as que saem
Evaporam com facilidade

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

10 comentários:

Boo disse...

eu preciso secar como tu secou.
quanto mais eu me espremo, mais eu perco eu de mim.

Isabele ♪ disse...

O Escrivólatras já me rendeu um bom fruto.
Que blog ótimo acabo de conhecer!
Parabéns!!!

willa Albuquerque disse...

O que tinha de acontecer já aconteceu.


Beijos!

Davi disse...

Tenho lido bons poemas em varios blogs, achei mais um, que bom! :)

Como pensei certa vez "quantos Pessoas, ou Drummonds, ou Adélias, ou Vinícius estão por aí com seus próprios nomes anônimos?"

Bem, aqui um novo leitor Pequena Poetiza. E uso a liberdade que tenho pra deixar-te um convite igualmente livre para comentar-me.
Abraços!

P.S.:Poetize, você borbulha mesmo!

:)

.

Monday disse...

ah, essa é fácil, menina: ao invés de espremer, tente expremer ... vai sair um monte de coisas ... rssss

Marianna Neves disse...

Queria eu me sentir assim por alguns instantes pelo menos. Comigo parece que nunca teem fim! =P

mateo disse...

Mas que gotas de encharcar?
Bjs

Maria Fernanda disse...

Se tivesse um pouco mais frio, elas demorariam um pouco mais a evaporar.

ลndreia disse...

Isso é bom, certo? *

Marrí disse...

De expremer
vive o ser
E,
quando gota não há
chovem
as janelas da alma

°

Aos capixabas... um abraço fraterno