Páginas

domingo, 22 de fevereiro de 2009

DO TIPO DE AMOR QUE NÃO QUERO MAIS


Minha carência não pode ser suprimida por objetos de prazer
Não quero jogos sexuais de uma noite e nada mais
Quero mais que toque
Quero mais que beijo
Quero mais sempre
E eu sempre vou querer além do que você pode me dar
Ofereceu-me prazeres e amores
Deu-me o gosto do pecado e senti em mim a fervura da paixão
Mas quero mais que paixões fulgazes e indolores
Quero sentir meu coração queimando
Pura ardência dos sentimentos
Quero frio na barriga
Quero calor de abraços
Com pretensões além de uma noite
Quero ter um rosto onipresente na minha vida
Cansei de amores de carnaval

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

5 comentários:

Monday disse...

conheço essa história,moça ... rsss

as vezes gosto de estar só, mas com certeza relacionamentos de uma nota só não fazem mais música aos meus ouvidos ...

boa sorte em sua caminhada ...

willa Albuquerque disse...

Nunca coloquei fé em amores de carnaval. :/


To de blog novo..
http://ritmo-da-chuva.blogspot.com/
Passa lá!
Beijos^^

Jones Giovanella disse...

Movimentando no mesmo tom
o perplexo, por nossos devaneios
sem medida, assim como o jubileu,
pela audácia. Em todos os casos
sempre gostei de me perder no que
há de bom no momento, esqueci o
meu querer. Acredite, só assim hoje amo e também sou amado. Porém antes muitos carnavais vivi, aproveitei
cada um.

Acompanharei suas peripécias.
Beijo.

Su disse...

Queremos cumplicidade, sentir nosso coração acelerar e todas aquelas borboletas no estômago... rs...

Bjosss!!!

mateo disse...

Os amores de Carnaval devem ser o mesmo que aqui chamamos "Amores de Verão" que vêm e vão como as ondas.
Tão fugazes...
Bj.