Páginas

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

SOBRE VERSOS

Gosto de versos simples e sem rodeios
Minha ânsia por algo claro e preciso é demais
Já basta os devaneios e passeios da minha mente
Ao menos dos outros eu quero o meu oposto
Mas é impressionante como sempre me deparo com os meus semelhantes
Mesmo no meu oposto tem um pouco de mim
Negando a mim mesmo é de mim que reflete a oposição
O oposto de mim também sou eu
O verso de mim
O verso que procuro
Seja o verso numa poesia
Seja o verso do que sou
No avesso do que fui... ou não

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

6 comentários:

mateo disse...

Procurar-me nos outros é virar-me do avesso.
O que muda... é o papel de embrulho.
Bj.

(marta selva) disse...

isso pode parecer bizarro, mas le com calma q eu vo chegar em algum lugar. uahehae
eh q assim. eu faço um trabalho de pesquisa sobre a Presença do monstro na literatura. e daih tem muita coisa sobre essa questao do monstro ser o oposto do q a gnt queh. e refletir exatamente o q nohs somos. hehe
eh meio confuso. mas. o outro eh sempre vc refletido no espelho..
entende?
enfim.
linda poesia eu adorei
comosempre
;*

Ígor Andrade disse...

Bonito!

Monday disse...

menina, pra quem lê a primeira vez, dá um nó de marinheiro ...

mas dá pra entender, se ler com calma ... rsss

ลndreia disse...

Bonito *

Su disse...

Lindo poema!
E os mais simples, são os mais belos!

bjosss!!!