Páginas

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

SOBRE MINHA ESCRITA [2]

Não tenho obrigações com o tempo. Escrevo o que me acontece e o que me faltou acontecer. Escrevo como gostaria que tivesse sido. Coloco vírgulas e pontos onde bem entendo. Volto ao passado e no instante seguinte já estou em meu futuro. Não tenho compromisso com a verdade. Não faço jornalismo. Não relato fatos. Minha única obrigação diz respeito aos meus sentimentos.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

10 comentários:

Fabio Jardim disse...

é exatamente assim.

Cláudia I, Vetter disse...

e então, é sentimentalismo pleno.

sem explicações, só palavras pra convencer a saliva.

;)

Monday disse...

seguir sentimentos às vezes vai muito bem ...

Boo disse...

eu escrevo não como eu gostaria que tivesse sido, e sim como de fato foi... mesmo que tenha acontecido só na cabeça cheia de lirismo de um coração poeta e romântico...
afinal de contas, quem poderá dizer que de fato não foi?

Dallas Diego disse...

Olá...

Tem um selinho pra ti lah no Escritos!!

Bjux!!

mateo disse...

Quando a escrita é Liberdade...
Bjs

Kuriozza disse...

E é exatamente isso que interessa.

=)

Marianna Neves disse...

Assim... Simplesmente. Vc faz e faz bem feito! =D

Bjoooos.
Ótimo fds.

Su disse...

Escrevemos o que sentimos, o que vem da alma!

bjosss!!!

Késia Maximiano disse...

E enquanto eles forem verdadeiros sempre haverão palavras para descreve-los..
E nunca dissemine a escrita, um dom tão doce..

Super beijo