Páginas

segunda-feira, 7 de junho de 2010

DAS BORBOLETAS NA BARRIGA


Moço ela não sabia o que era se apaixonar não, viu?! Pois é a gente tem aquela primeira vez com borboleta na barriga e acha que a segunda vez a gente vai estar crack já. Sabendo de tudo. A moça num sabia não, viu?! Ela até tinha se apaixonado umas duas vezes já, mas é que é sempre diferente. As borboletas mudam. E elas começam num ponto diferente da barriga. Ás vezes nem só na barriga ficam. Não dá pra saber não moço. Eu sei que o senhor também num sabia. É coisa que não se sabe mesmo. As borboletas ficam ali procurando uma brechinha para adentrar. A liberdade delas é procurar abrigo na barriga dos apaixonados. Dizem que amor liberta moço. É o que ouvi falar. E as danadas das borboletas fogem do vento forte do ar livre pra se aprisionarem na barriga de apaixonados. É essas coisas do amor que ninguém entende até ficar com aquele sorriso abobado na face. Os olhos brilham. Igual o seu assim moço. Moço? Que houve moço? Parece que tá vendo uma buniteza das grandes. Ahhhh é a moça... O senhor também tá com as borboletas na barriga, né moço?!

6 comentários:

Priscila Rôde disse...

O moço tá bobinho em? Ê coisa boa.. :) rsrsrs

Jones Giovanella disse...

Vou me adentrando mesmo não sendo borboleta. De amor já sou cheio e borboletas, então, nem te conto!?

Mas que "escrivinhada" gostosa de absorver. Agora me deu vontade de tomar um quentão e comer uma maçã do amor. ^^

Até mais ;D
Beijo.

Manifesto Interno disse...

Que prosa, heim?!
Lindas e desassossegadas borboletas pairando por aqui,

lindo blog^^

Por que você faz poema? disse...

Borboletas inquietas.

Magda disse...

Viajei nesse texto,
tão aconchegante.

mais amor, por favor. disse...

E essas borboletas né moço, não tem parada.
Como sempre surpreendente, encantador.
Beijo grande!