Páginas

sábado, 11 de setembro de 2010

AMOR DE ALARDE








Então agimos feito duas crianças.
Tocamos a campainha um do outro e saímos correndo antes de alguém atender a porta.
Desse tipo de amor que faz alarde ao chegar, mas vai embora sem a gente ver.

3 comentários:

Priscila Rôde disse...

E não volta mais..
não do mesmo jeito..
outro amor!


Um beijo.

Lene disse...

Mas que é bom e intenso.
Assim como toda forma de amor.
Se tem que tocar e sair correndo, toque!

bjs

Naia Mello disse...

Amar rápido. Que parece duradouro. E nos engana.