Páginas

sábado, 3 de janeiro de 2009

PARADA NO TEMPO

Eu já perdi as contas de quantas bocas me perdi procurando a sua. Procurando teu gosto. Teu beijo. Você disse que tudo ficaria bem que cada um seguiria seu caminho. Mas eu nunca fiquei bem e será que você sabe disso? Você seguiu em frente me deixando pra trás e eu ainda estou aqui no mesmo local que você me deixou. Não que esteja a sua espera, mas é que não consegui me mover. Desde aquele dia minhas pernas ficaram paralisadas, enquanto que você parece que ganhou mais força para continuar. Eu queria saber o que sente quando ouve falar meu nome. Queria saber o que pensa ao meu respeito. Talvez se vanglorie de fatos e acontecimentos e sinta-se mais viril ao saber que ainda estou só. Arre! O que há com meu relógio do tempo? Há anos está quebrado e nada do que eu faça parece concertá-lo. Desde que parou marca a mesma hora e é como se meus dias fossem todos iguais. Ando a repetir gestos e sentimentos e não aprendo mais nada. Mundo insano que criei pra mim. Repetem-se os dias, as horas, os meses, os anos. E tudo é sempre tão igual.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

3 comentários:

Monday disse...

mas terá que continuar a andar, a conhecer, a tentar, só assim poderá encontrar ... mas não procure, apenas viva ... o caminhar do viver faz com que a gente possa olhar a paisagem sempre, mesmo que ela pareça igual ...

© Piedade Araújo Sol disse...

mas um dia tudo muda.

há sempre um novo amanhecer e com ele novos sonhos e amores.

um beij

Anderson disse...

Que texto lindo...

Estava com saudade, sem mesmo saber disso...

Feliz ano novo pra nós.
Beijos ;*