Páginas

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

SOBRE ARMÁRIOS E SI MESMO


A procura de nós mesmo acabamos por encontrar um ser desconhecido. Tão oculto de nós mesmos que fica difícil acreditar que somos o que não somos. Pois é... esse mistério da existência humana. Ninguém sabe por completo de si ou mesmo não se quer saber. Deixa-se tudo guardado em gavetas por arrumar. Junta-se pó e traças e recolhe-se apenas a roupa do dia-a-dia. Sabe-se que tem roupas que não usa mais, porém as deixa ali a espera de um dia arrumar tudo de uma vez. É difícil esse tal do desapego. Gruda-se a tudo com a esperança de preencher faltas. Ficando com o resto, com o ultrapassado, com o que não cabe mais. Até chegar um dia que terá que jogar todas as roupas fora e fazer um novo figurino. É... ando precisando arrumar o armário.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

3 comentários:

Monday disse...

arrumar o armário sempre vai bem menina, principalmente quando a gente abre a porta e não sabe mais onde está o que ...

reciclar é bom, mas preservar o que a gente traz de bom, é melhor ainda ...

Ígor Andrade disse...

É sempre uma nova fase arrumar armários, gavetas e afins. Crescimento vem com as arrumações, ou não... rs
Abraço!

mateo disse...

Nesses momentos... descobrimos que afinal não estávamos mortos mas somente adormecidos.
Beijos.