Páginas

quinta-feira, 15 de abril de 2010

SOBRE NOSSA DANÇA


Senti tua pele pegando fogo. Nossos corpos dançavam como se já soubessem a coreografia que inventávamos ali no instante. Entre pegadas e suspiros ofegantes nos estragávamos um ao outro nos deixando guiar. E já não se podia saber se era eu ou você no comando. Porque não havia dois. Éramos um. Entre amassos e abraços nos confundimos em outros corpos. Nos confundimos em nós mesmos. Os passos largos que dávamos pareciam pequenos, como se tão perto ainda houvesse uma distância de um abismo entre nós. Da ordem de uma impossibilidade a ser botada a prova. Quem seria o primeiro a ousar rompê-la, invadi-la? Então ficamos assim pelos vãos. Pelas esquinas do acaso. Pelos murmúrios do destino. Pelos percalços do querer. Num deixar estar silencioso que chega a ensurdecer.

3 comentários:

Mikaele Tavares disse...

Nossa!!!!
Que abraço bom...

Priscila Rôde disse...

Linhas em chama! :)

Pequena Poetiza disse...

agora me dei conta que cometi um ato falho
fiquei pensando se tiraria ou não... mas acho ´válido e pertinente... talvez de alguma forma caiba deixá-lo...
então deixo aqui a outra intenção: "Entre pegadas e suspiros ofegantes nos ENTREGÁVAMOS um ao outro nos deixando guiar."

Mas de alguma forma nos estragávamos tb...rs

beijos