Páginas

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

PRECE


Penso no espírito que transcende o nosso corpo físico, que é apenas matéria que vira pó de volta a terra que veio. Porque dar tanto valor ao externo passageiro se é nosso espírito que reinará após a carne apodrecer e ser comida por urubus? Eu creio no espírito. Eu creio no espírito como parte da matéria que aqui vos fala. Me toco e porque não, minha mão é meu espírito e até a unha de meu pé. E vivo para respeitar cada parte de meu corpo como se fosse meu próprio espírito, que na verdade o é. Quando tu me machucas é meu espírito que feres e deixa marcas. Muitas vezes socos em meu corpo não doem tanto quanto palavras que são atiradas feito flechas na alma. Percorrem-na rasgando e dilacerando o ultimo suspiro de vida em mim. Porque insistes em sulcar minha ultima gota de esperança? Eu deixo que tu vivas como queres. Deixe-me viver à minha maneira. Se não respeitas meu corpo, ao menos respeite minha alma. Não te peço nada além de libertar meu espírito do corpo que você prendeu. Eu preciso seguir.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-


6 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Somos nós os culpados pelo aprisionamento do espírito, delegamos poderes quando damos a chave do corpo ao outro :(

lindo dia flor
beijos

*belo texto

mateo disse...

Esta estranha dualidade corpo-espírito que insistimos em dividir em vez de somar...
Ninguém prende o corpo se o atarmos ao espírito.
Beijo.

PS: Obrigado pela tua visita. Sempre de portas abertas...

(marta) disse...

lindo
vontade de voar alem de tudo
;*

Vanessa disse...

"Não te peço nada além de libertar meu espírito do corpo que você prendeu. Eu preciso seguir"

eu quero ter meu espírito livree
=/

Jéssica Trabuco disse...

Nossa... como é que vc consegue sempre escrever tão lindamente?
*-*
Amo seus textos.. e esse meio que mexeu comigo!
Sabe, acho que a minha alma sou eu mesma, mas sou aqueeele euu que nem eu conheço bem, sabe?
Meio confuso eu sei, mas é bem assim...
São os meus desejos mais intimos, meus medos mais secretos, sou o meu eu no íntimo.
=)

Amei o texto!

Ígor Andrade disse...

Continue seguindo...
Volte sempre!
Abraço!