Páginas

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

FERIDA ABERTA


Estanquei o sangue de cada ferida.
Cuidei e limpei de maneira que não inflamasse.
Mas ainda me é irresistível a idéia de arrancar a casquinha mais uma vez.


-=Þëqµëñä Þö놡zä=-


2 comentários:

Rafael Cury disse...

Obrigado de novo pela visita, pelos comentários tão preciosos. E que versos são esses? Seus. Mas que me vestem perfeitamente. Beijo grande.

Patrícia Lage disse...

Exatamente.
Eu não sei também porque insisto nesse ato...

Muito boa a tua presença!
Vim retribuir e me encantei aqui. Parabéns!

Voltarei,
meu beijo.