Páginas

sexta-feira, 17 de abril de 2009

DO QUE ME CABE


Cabe a mim ser o mais íntimo de meu ser
Cabe a mim encontrar minha essência e me deixar guiar por ela
Cabe a mim caber somente a mim
Obedecer o que me convém
Dentro de estratégias não tão lógicas e talvez surreais
Não preciso da aprovação dos demais para ser-me
Já me bastam aquelas que a vida nos obriga a receber
Quero ter só mais uma
A (a)provação de mim comigo mesma
E se eu estiver de acordo...
Isso definitivamente tem que me bastar.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

4 comentários:

Paulinho Cajé disse...

"Não preciso da aprovação dos demais para ser-me"

Seja sempre assim!!

Adorei teu blog, passarei mais vezes por aqui!

Bjãoo!

Kuriozza disse...

Concordo com você. Cada um carrega as próprias dores da existência.. não precisamos das dos outros. E a nossa auto aprovação é a mais difícil de acontecer =/

ps: Ainda estou na metade do livro mas já posso recomendá-lo com toda a segurança. O 'Juan Rulfo' foi um dos escritores que inspirou o Gabriel Marquez.. por ai a gente vê qual é a do rapaz ;)

Bjs!

clarice ge disse...

e no momento que te couber tudo que te cabe, o mundo te sorrirá pois estarás sorrindo.
somos o reflexo de nosso interior...

Rafael Perfeito disse...

Tem um do Pessoa, se não me engano Álvaro de Campos, que vai nessa temática, talvez numa perspectiva até mais livre do que a sua:

"Se eu não me quero encontrar...
quererei que os outros me encontrem?"