Páginas

terça-feira, 21 de abril de 2009

RESSURREIÇÃO


Esses pensamento que me corroem por dentro. Que me aprisionam. Fazem eu ter medo do que eu sou. Do que eu fui. Do que deixei de ser. Me conheço, mais vejo cada ato conseqüência de cada traço meu. Me revolto e não admito. Não aceito. Conhecer o que me causa. O que me leva. O que me faz ser quem sou. Esse tipo de conhecimento tem me aprisionado em meus pensamentos. Fujo deles por alguns minutos e eles me encontram. Reavivei sepulturas. Fiz culto aos mortos e eis que o cemitério todo se levanta. De volta à realidade como zumbis a espera de algum tipo de antídoto que lhes dêem vida. Eis que meus sentimentos assim ressurgem. Estranhos a mim, mas parte daquilo que venho buscando do fundo do meu ser. E não sei quantos mortos ainda levantarei. Mas sinto que é só o começo.

-=Þëqµëñä Þö놡zä=-

5 comentários:

Maria Inácia Bellico disse...

Que lindo texto! E realmente é só o começo.

Bjim*

Ígor Andrade disse...

Um texto existencial. Eu gosto deste tipo de questionamento. Continue... continue.
Abraço!

Valéria disse...

não há fuga dasverdades que borbulham... não há.

um beijo

A.S. disse...

Na vida... tudo renasce, tudo se renova!


Um beijo...

Michel disse...

Nossa, q força! Texto muito martelada XD Às vezes a gente só quer parar de pensar né... Parar de pensar, e descansar em paz. Acho q é preciso auto-perdão pra isso...