Páginas

sábado, 21 de agosto de 2010

DESSES NOSSOS SILÊNCIOS


Voltamos então a esse ponto vazio de sentimentos equilibrados que quando um pende para um lado o outro pende no sentido contrário. Em contenção. Aprisionamos nossos sentidos. E entre sorrisos abobados fingimos nunca termos trocado de pele. Porque uma parte tua me cabe e uma parte minha pertence a você. É isso que nosso silêncio tenta esconder e acaba gritando pelos nossos olhos.

2 comentários:

(marta silva) disse...

aaah esses silencios que fazem a alma gritar.

Powah Kyotto disse...

Ai, ai... os olhos. Por eles sorrimos. E entre sorrisos abobados fingimos também nunca termos tocado nossas peles. (brincando um pouquinho com seu texto).^^

Adoro o que você escreve.