Páginas

terça-feira, 6 de julho de 2010

DESSA MINHA FALTA


Sou esse ser vazado a procura de rolhas que tamponem meus buracos. Mas encontrar a medida exata pros meus vazios tem sido uma busca árdua e cheia de nadas. Ora a rolha é frouxa, ora é apertada. E fico assim sem querer o que me deixa solta e o que me sufoca. Porque dos dois jeitos me falta ar, me falta essa coisa que eu não sei o nome. Me falta sempre e parece não haver nada que preencha essa falta de não ter. Esse lugar que me posiciono parecendo sempre estar em desvantagem, mesmo que passe o ar de ter toda a vantagem do mundo. Me faltam pernas, braços, mais corpo, mais olhos, mais ouvidos, mais coração. Me faltam mais vidas pra não temer de viver essa vida aqui. Me falta voz. Me falta silêncio. Me falta ar. Meu suspiro é sufoco de não entender nada mesmo tendo todas as respostas que preciso agora.

6 comentários:

mais amor, por favor. disse...

Te falta a rolha exata, a que foi feita pra ti. Continua procurando, cedo ou tarde, tu acha.
Beijo grande!

Ava disse...

Sempre nos deparamos com texto que parecem terem sido escritos por nós ou para nós...
E voce é assim, parece que estou em suas palavras...
Sei muito bem como é esse precisar de mais vidas para viver essa vida...
Sei como é esse vazio cheio de nada...


Grande beijo!

Priscila Rôde disse...

Não sei se o que lhe falta mesmo é a rolha certa.


Um beijo, Flor.

Patrícia Lara disse...

Olá, Poetiza.

Passando para ler as suas inquietações... (dizem que todo poeta é assim mesmo, então, aguente firme! rs).

Parabéns pela postagem. Está lindo o seu texto. Dá pra sentir essa angústia sua na alma da gente.
Tb me senti sufocada ao ler-te.

Abraços,
Patrícia Lara

Celso Andrade disse...

Incompletude -sei muito bem como é!

Pensamento e Fumaça disse...

Oi...
Saudades de ti...

Beber de tuas fontes aqui me levam a lugares que jamais imaginei!!!!

Preciso urgentemente encontrar a rolha certa...ou o rótulo!

Um enorme carinho
Mell